Conversão a Deus

Através das eras, as pessoas chegaram a Deus por caminhos diversos. Às vezes o encontro é repentino e inesperado, outras vezes é preparado por caminhadas circulares de busca, dúvidas e desilusões. Ocasionalmente Deus aproxima-se de nós e surpreende-nos, enquanto em outros momentos descobrimos Deus e nos voltamos a ele. Essa conversão pode ocorrer cedo ou tarde, na infância ou juventude, na vida adulta ou na velhice. Não há duas pessoas que chegaram a Deus por caminhos idênticos. Não há caminho que tenha sido percorrido por mais de um peregrino. Sou um peregrino único; devo tomar minha própria estrada, para descobrir um Deus pessoal, a quem posso dizer: 'Ó Deus, tu és meu Deus' (Sl. 63:6). Deus é o mesmo para todas as pessoas, mas ele deve ser descoberto por mim e tornar-se meu.

A conversão é sempre um milagre e um dom, seja repentina e inesperada ou gradual. Frequentemente uma pessoa busca por um longo período antes de chegar a Deus; entretanto, não é o indivíduo que descobre Deus, mas antes Deus é quem captura o indivíduo. Mesmo assim, deve haver uma conexão entre os propósitos e zelos do buscador e o objeto da busca: o encontro com Deus. Santo Agostinho, por exemplo, passou por muitas provações na busca pela verdade. Leu diversos livros teológicos e filosóficos antes de chegar a entender, com trinta e três anos, que ele não podia viver sem Deus. Em tempos modernos, as pessoas frequentemente começam sua busca por uma verdade 'abstrata' através de livros antes de chegar à revelação do Deus pessoal.

Alguns chegaram ao cristianismo por um caminho rotatório, através de outras religiões e cultos; outros após experimentar uma catástrofe, tal como a perda de uma pessoa amada, uma doença, ou um colapso repentina de expectativas de uma vida. Na desgraça sentimos nossa pobreza muito fortemente, pela realização de que perdemos tudo e não temos nada ou ninguém além de Deus. É apenas então que nos encontramos chorando a Deus de profundis, das profundezas (Sl 130:1), desde os abismos de profunda dor e desespero.

A conversão também pode ocorrer como resultado de encontrar algum verdadeiro crente, um ministro ou uma pessoa leiga.

Há, finalmente, o que parece ser o meio mais natural de se encontrar Deus: ser uma criança nascido em família religiosa e ser educado como um crente. Mas aqui, também, a fé recebida por nossas famílias deve ser pensada e sofrida por cada indivíduo: deve tornar-se parte de sua própria experiência. Há muitas pessoas de famílias religiosas que quebram com a fé de seus ancestrais, uma vez que o encontro milagroso com Deus não ocorre. Como isso ocorre, não sabemos. O que sabemos é que ninguém nasce um crente. A fé é um dom, embora frequentemente seja dado através dos esforços da pessoa que a buscou.